Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Quero os meus mamilos de volta!

por reporterdesaltosaltos, em 04.05.11

De vez em quando lá vem a pergunta “Então e bebés?”. E depois sorriem-me… Irrita-me como tudo esta pressão social sobre as mulheres! Só porque nasci mulher tenho obrigação de casar e ter filhos? Nunca fui uma pessoa “normal” e já em criança nunca sonhei com o vestido de noiva, a subida ao altar e muito menos em ter filhos! E ninguém me obriga, ok?

 

Convenhamos. Eu não quero dizer que nunca vai acontecer, até porque adoro crianças. Quem sabe se num dia acordo a pensar diferente, me caso em dois meses e fico grávida de trigémeos em menos de quatro? Não sei o que pode acontecer… Mas só porque entrei nos “trinta” (ainda me sinto com 20) sou obrigada a ter filhos? Não posso esperar até estar preparada para isso? Mais cinco anos? Ou trinta?

 

Depois vou a certos e determinados jantares e oiço as histórias dos partos, da dores horríveis, dos cocós em repuxo, das fraldas sempre molhadas, das babas, dos vomitados, dos cheiros e dos choros constantes, das birras, dos gritos (isto não aguento mesmo), de dar de mamar e ficar sem mamilos! Sim é possível! Esqueci-me de perguntar se voltaram a crescer… Mas depois dizem que ser mãe é lindo e que compensa tudo! Eu até acredito e se calhar vou ser uma mãe daquelas obcecadas em expor ao mundo as diferentes tonalidades do cocó dos seus bebés. Algumas pessoas até dizem que o parto natural é lindo – só podem ser homens ou mulheres que tiveram crianças de meio quilo! Eu quero estar completamente drogada! Sim! Drogada!

 

Dependência! É uma relação de pura dependência! Dar de mamar a cada três horas durante meses a fio! Quando é que eu vou dormir? Com menos de 7 horas de sono EU - NÃO - SOU - NINGUÉM! As manhãs de Sábado a dormir até às 10 são substituídas pelo bebé que quer comer e não sabe fazer o pequeno-almoço. Quer fazer cocó mas não sabe limpar o rabo. Quer falar mas como não sabe, chora. Constantemente! Não sei se alguma vez conseguirei lidar com isto. Quero dizer, ficar sem mamilos já é mau mas à beira da loucura é bem pior! Como é que as mães aguentam? São as minhas heroínas!

 

 

E será que compensa mesmo? Vão crescer, aumentar as nossas responsabilidades, diminuir a nossa liberdade e independência. Crescem mais um pouco, aprendem a contestar-nos e em menos de nada vão estar a responder furiosamente “Eu não pedi para nascer!” – como eu disse um dia. Na adolescência ficam perturbados com as hormonas, afastam-se de nós e fazem-nos perder o controlo. Sobre eles, sobre nós e sobre a situação. Fico em stress só de pensar! A minha madrinha decidiu simplesmente não ter filhos. Já é quarentona e parece-me bastante feliz. O que me leva a confirmar que a felicidade não depende da maternidade!

 

Já me disseram que até vou ser melhor pessoa se algum dia for mãe. Mas é tão melhor ser tia! E não só da minha sobrinha mas, também dos filhos das minhas amigas. Sinto que ser mãe é emigrar para outro país. Uma batalha permanente. Ser tia é viver as coisas melhores. Ou seja, ir passar férias ao paraíso. Quando a coisa corre mal, entregamos à mãe… Cada vez admiro mais as mulheres e principalmente as mães. É que as mães têm paciência e perdoam tudo aos filhos.  Como é que conseguem? Será que algum dia vou ser capaz? E se eu não tenho aptidão para ser mãe? E o deixo cair nos primeiros dias? Ou me esqueço dele algures? Stress! Se calhar ainda não estou preparada e um dia venho aqui escrever (e jurar a pés juntos) que o meu petiz é a luz da minha vida…

 

Ainda assim, não sei se consigo viver sem mamilos…

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 20:51


Mais sobre mim

foto do autor


Arquivo

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2014
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2013
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2012
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2011
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2010
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D