Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Tens todo o meu apoio!

por reporterdesaltosaltos, em 22.02.12

Há pelo menos um momento na nossa vida em que precisamos de apoio. Precisamos de alguém ao nosso lado a dizer que vai correr tudo bem. Precisamos de alguém para nos ajudar a executar uma tarefa. Precisamos de alguém. Ponto. Tipos de apoio? Aquele que se pede, aquele que não se pede e aquele que é absolutamente inesperado mas muito bem-vindo.

 

Quando eu tinha cerca de 6 anos e andava no motocross o meu pai deu-me duas das lições de vida mais estranhas que se pode receber. Tão estranhas quanto úteis. Se a pista tem uma subida ou descida verdadeiramente assustadora (mesmo para os adultos mais destemidos) a primeira medida a tomar é acelerar a fundo. É de doidos? É! Vou cair? Vou cair sim senhor! Mas começo pelo mais doloroso. Cair e aprender a levantar. Depois disso nada pode correr pior.

 

Cair e levantar é uma excelente lição mas levou-me ao extremo em que pedir ajuda não é uma opção. No motocross se caíres e alguém te ajudar a levantar – a não ser claro que estejas a morrer debaixo da mota - és desclassificado. O que faz do lema dos “dirt bikers” “Eu caio, eu levanto-me!” Recusar ajuda nunca foi um bom princípio e muito menos é saudável mas é sempre algo que me deixa renitente – reminiscências do passado. Se a minha missão é andar 200 metros a pé coxinho equilibrando 10 pratos separados por ovos de codorniz no braço esquerdo e 20 sabonetes húmidos em torre no braço direito, meus amigos, eu atravesso a meta sozinha! Por mais que me custe pedir ajuda raramente é uma opção.

 

Porquê? Porque tem elevados riscos de dependência. Se eu receber ajuda de alguém, vou facilmente (bem não diria facilmente) confiar que essa ajuda estará por perto com alguma regularidade. Depois começo a querer confiar e vou criando habituação. Quem sabe até vício! No dia em que não o tiver o que é que eu vou fazer? Com quem é que eu vou contar? Prefiro nunca contar com ninguém senão comigo mesma. Eu sei que sou 100% fiável e vou sempre estar do meu lado. É um mau princípio? É mas cada um de nós tem os seus padrões. Os meus foram sempre o de apoiar a 100% e de recusar ajuda a 100%.

 

 

Eu sou aquela chata – ou profundamente insistente... - que os vence pelo cansaço. Estou ao lado de alguém a apoiar e a dizer “Claro que consegues” “Eu acredito em ti” “Tenho a certeza que tu és capaz” “Vai correr tudo bem” “Vá força! Acredita em ti! Eu estou contigo!” E estou mesmo e de coração! A minha sobrinha ultimamente tem insistido para que eu me inscreva nos escuteiros. Diz que eu sou boa a comandar jovens e ainda mais a motiva-los. Acho que o que ela quer dizer é que os escuteiros fariam tudo o que eu lhes pedisse só para não me ouvirem muitas vezes! “Vá montem as vossas tendas e a minha também! Eu sei que vocês conseguem! Força! Vamos embora! Vocês são os maiores! São o meu orgulho! A minha tenda parece um palácio!” Só é pena a vestimenta deles são tão “feinha”. Além de que a cor creme me fica pessimamente.

 

Apesar de ter dificuldade em receber apoio tenho o maior dos prazeres em oferecê-lo a quem dele precisa. Gosto de dar a minha ajuda e o meu apoio a quem me pede e gosto de dar o apoio que ninguém nos pede porque está implícito – ou pelo menos devia. Pode ser ajudar um idoso a atravessar a rua, ajudar uma estranha que deixa cair a mala no meio da rua ou simplesmente dar umas palavras de confiança a uma amiga que está um pouco (digamos) nervosa porque vai ser operada com anestesia geral... Carina eu não disse que ia correr tudo bem? ;-))

 

O importante é ajudar quem nos pede mas também que não nos pede. Ajudar e apoiar só porque sabemos que aquela pessoa, naquele momento, precisa de um simples “Força ai”. E o mais extraordinário é quando não pedimos apoio e o recebemos de pessoas das quais nunca esperaríamos absolutamente nada. São estes surpreendentes “pequenos milagres” que fazem do ser humano algo muito especial...

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 23:44



Mais sobre mim

foto do autor


Arquivo

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2014
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2013
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2012
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2011
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2010
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D